Sistema Gestor de Conferencias CIAEM, XIV Conferencia Interamericana de Educación Matemática

Por defecto: 
Apropriação de práticas de numeramento e a “indigenização” da gestão nos projetos sociais Xakriabá
Augusta Aparecida Neves de Mendonça, Maria da Conceição Ferreira Reis Fonseca

Construir: UVM
Sala: F006
Fecha: 2015-05-04 16:30 – 16:50
Última modificación: 2015-04-13

Resumen


Neste trabalho, focalizamos processos de apropriação pelo povo indígena Xakriabá de práticas de numeramento na gestão de projetos sociais.  Esses processos são aqui chamados “indigenização dos projetos”, parafraseando a expressão “indigenização da modernidade”do antropólogo Marshall Sahlins, que se refere à  maneira como os povos indígenas vêm elaborando culturalmente o que lhes foi infligido e como vêm tentando incorporar o sistema mundial a uma nova ordem ainda mais abrangente: seu próprio sistema de mundo. O material empírico submetido à análise é composto por trechos de entrevistas realizadas com Nicolau Xakriabá, como um dos procedimentos de uma investigação etnográfica. Na análise, operacionalizada a partir do conceito de tática de Michel de Certeau, este estudo se vale da perspectiva etnomatemática apresentada por Gelsa Knijnik, para discutir o aspecto pragmático das práticas de numeramento que leva os Xakriabá a submeter-se às regras ou transgredi-las, driblando-as ou as transformando. Assim, indigenizam a gestão dos projetos.


Palabras clave


Projetos sociais Xakriabá, Indigenização dos projetos, Etnomatemática, Práticas de numeramento, Táticas.

Texto completo: PDF